Seguidores

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

UM DOS PRIMEIROS DENTISTAS DE CAPÃO DA CANOA - SAUDOSO DR. CLÓVIS FRONER

FOTO DA LAGOA DOS QUADROS EM CAPÃO DA CANOA

UMA VISTA DA PRAÇA CENTRAL DE CAPÃO DA CANOA - FOTO ANTIGA

VELAS DA MARINA - LAGOA DOS QUADROS

AEROPORTO DE CAPÃO DA CANOA - FOTO ANTIGA

SAUDOSO SHARON

Saudoso Sharon de SHARON Cabeleireiro - Alex, Binho, Sérgio e Carlos, uma família dando o toque especial e profissional a todos os tipos de cabelos.

EX-GOVERNADOR OLIVIO DUTRA EM VISITA A CAPÃO DA CANOA

EX-GOVERNADOR OLIVIO DUTRA, NO CENTRO PROF. CIDA E FLAVIO LARA

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

SIGNOS NAS NOTAS VERDES

             O dólar foi emitido pela primeira vez em 1789, pelo Banco Federal de Atlanta, e adotado como unidade monetária pelos Estados Unidos em 06 de julho de 1793. A nota de US$ 1, atualmente em uso, surgiu em 1935, no governo de Franklin Roosevelt
             O simbolismo maçônico está presente no dinheiro. No verso da nota, á esquerda há uma pirâmide, em cuja base está gravada a data da independência dos Estados Unidos, 1776, em algarimos romanos. A pirâmide é encimada pelo delta grego irradiando o símbolo maçônico do Grande Arquiteto do Universo (GADU). Há dois lemas em latim: abaixo, Novus ordo secolurum (Nova ordem dos séculos), e, no alto, Annuit coeptis (Sê favorável ao empreendedorismo - o princípio da liberdade de iniciativa privada)).
             À direita do verso, existe a àguia da liberdade, que traz no bico um lema sinárquico de 13 letras: E pluribus unum (Um em tudo). Uma nuvem de 13 estrelas simboliza as ex-colônias americanas, dispostas no formato do Selo de Salomão, que, para os pais fundadores, foi um poderoso símbolo, com efeito de talismã. Na garra direita da àguia, há um ramo de oliveira com 13 folhas e 13 frutos; na garra esquerda, 13 flechas: são os símbolos da paz e da guerra.
             Na frente da nota encontra-se, no centro, George Washington, primeiro presidente dos Estados Unidos e maçom. De cada lado da efígie e como borda, figura um ramo de acácia, símbolo da imortalidade e sinal de reconhecimento utilizado pelos maçons.
Fonte : História Viva
            Dossiê : As sombras do poder

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

HOTÉIS EM CAPÃO DA CANOA

                                                                HOTÉIS

Um dos primeiros lugares para abrigar viajantes foi o Hotel Nunes que se situava ao sul do Arroio Pescaria, próximo ao local de pesca, onde já existiam modestos ranchos de chão batido, eventualmente ocupados. Próximos ao Arroio existiam grandes cômoros de areia.
          O fazendeiro Pedro Hygino da Silveira, em 1922, comprara de seu cunhado Manoel Rufino Alves uma casa simples, de madeira, com 2 ou 3 peças e coberta de palha de tiririca, abundante nesta região, colocando-a junto ao Arroio. O rústico Hotel Nunes possuia cobertura de palha, melhorando depois, em 1928, com telhas de barro e um maior número de acomodações.Ali se instalavam alguns comerciantes e fazendeiros que comerciavam cavalos, panos, ferragens, etc. com o fazendeiro Pedro Hygino e evntuais banhistas da época.
          O Hotel Riograndense, de Alberto Mury, foi construido em madeira por Juca Valim e inaugurado em 1928, recebendo reformas mas tarde. Julia Mury sua esposa, cozinhava para os hospédes. Durante o ano, hospedavam-se viajantes ocasionais, num setor do hotel; o outro setor ficava ocioso até a próxima temporada de veraneio.
           Posteriormente, com o novo proprietário Ramiro Correa da Silva, o hotel foi reformado, totalizando 23 chalés de madeira e um salão de refeições onde se realizavam bailes e festas. Cerca de 30 anos mais tarde, o antigo Hotel Riograndense transformou-se no "Flipper Show", com máquinas importadas dos Estados Unidos, tornando-se um local de jogos e divertimentos.Anos após, conhecido como "Boliche", tornou-se um ponto de encontro dos veranistas e moradores.Depois, na década de 1920, vieram os Hoteis, Bassani, Hotel Lopes, mudou seu nome para City Hotel, quando o Sr. Salvador Longo o adquiriu. O  Hotel Beira Mar, foi um novo empreendimento de Lidolfino Francisco Lopes .
          Em 1924, Carlos Leopoldo Menguer construiu, em madeira, o então Hotel familiar, no local onde hoje fica o edifício Xavantes, com 5 quartos, o nome do Hotel mudou para Bela Vista, funcionou até início da década de 1950.
          O Hotel Progresso, de Constantino Heckermann e Alaíde Menger, foi instalado em 1942. Possuia dois pisos e ficava onde hoje se localiza o Edifício Anthurium.
          Sabe-se de outros dois Hotéis que existiram nesta época, Hotel do Fausto , de propriedade de Manuel e Leopoldina Nunes da Silveira e Hotel Oceania, de propriedade da família Ribeiro.


Fonte : ORIGENS DE CAPÃO DA CANOA
Autora: Mariza Simon dos Santos

CABANAS PARA HOSPÉDES DO BALNEÁRIO RIOGRANDENSE - ANO 1943

Foto do livro "Origens de Capão da Canoa" de Mariza Simon dos Santos, pg.74, utilização neste blog devidamente autorizada

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

PARAGUASSU, PARAGUASSÚ OU PARAGUAÇÚ

Podemos começar lembrando que, na Reforma Ortográfica de 1943 foi decidido (e isso continua vigendo com o Novo Acordo) que (1) em vocábulos originários de línguas ágrafas (sem escrita), como todas as nossas línguas indígenas e todas as africanas que entraram aqui no período da Escravidão, e (2) em vocábulos originários de línguas com alfabetos exóticos (entenda-se: todos os alfabetos que não forem o Alfabeto Latino — Grego, Cirílico, Hebraico, Japonês, etc.) NUNCA usaremos o CH, os SS e o G, mas sim o X, o Ç e o J: açaí, Iguaçu, Paraguaçu, miçanga; xaxim, Hiroxima, xale, paxá; acarajé, mujique, jiló, etc.

LOGO PELA REFORMA ACIMA É  .....PARAGUAÇU

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

POSSE DO PRIMEIRO PREFEITO DE CAPÃO DA CANOA

Egon Birlem, primeiro prefeito de Capão da Canoa, assumiu em 01.01.1983, na sede do Capão da Canoa Futeból Clube

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

OS PREFEITOS DE CAPÃO DA CANOA ATÉ OS DIAS ATUAIS

Capão da Canoa, emancipou-se de Osório em 12 de abril de 1982.
O primeiro prefeito foi Egon birlem, tomou posse em janeiro de 1983, permanecendo no mandato até 1988, sendo reeleito, retornou novamente ao poder em 1993 até 1996.
Após tivemos como prefeito Ledorino Brogni, que ficou no poder de 1989 a 1992 e 1997 a 2000, sendo reeleito.
Posteriormente tivemos Oscar Birlem de 2001 a 2004, não se reelegeu.
Jairo Marques tomou posse em 2005 e ficou no poder até 2008.
O atual prefeito é Amauri Magno Germano, eleito em 2009

ALGUNS NOMES DE RUAS DE CAPÃO DA CANOA

  • SIGNIFICADO DE NOMES  ÍNDIGENAS DE RUAS   EM CAPÃO DA CANOA
  • Andira -      Tupi -      Morcego
  • Ceci     -      Tupi -      Mãe Superior
  • Guaraci-     Tupi -      Sol, verão
  • Moema-     Guarani - Aurora
  • Moema -    Tupi -       Doce, adocicada
  • Potira -       Tupi -       Flor
  • Rudá -        Tupi -       Deus do Amor
  • Ubirajara - Tupi -       Senhor da lança, lanceiro
  • Ubiratã -    Tupi -       Lança rija
  • Yara -        Tupi -       Sereia, Mãe d´água
  • Aimoré -                    Tribo Indigena
  • Anhanguera -            Diabo velho -Nome dado ao bandeirante Bartholomeu Bueno da Silva
  • Araçatuba -              Cidade, lugar ou região de araças.
  • Araribóia -                Famoso cacique dos timinimós, indios aliados dos Portugueses contra os Tamoios e Franceses.
  • Caeté -                     Nome de uma tribo litorânea, acusada de matar o primeiro Bispo do Brasil, D. Pêro Fernandes Sardinha
  • Caiçara -                 Paliçada, cerca com a qual os indios defendiam suas aldeias.
  • Curumim -              Menino indio
  • Iara -                      Senhora das águas 

EMANCIPAÇÃO DE CAPÃO DA CANOA

                                                           
O povoado Capão da Canoa era o sexto distrito de Osório, tendo como sede a Vila de Cornélios.Quando esta, devido ao seu atraso econômico, passou a povoado, Capão da Canoa tornou-se o sétimo distrito de Osório, evidenciando seu desenvolvimento. Isso aconteceu em 08 de outubro de 1958.
                Na década de 1960, Tramandaí liderou um movimento emancipacionista, convidando políticos e empresários caponenses a aderirem à criação de um único município. Não houve interesse em se desligar administrativamente de Osório.
                Posteriormente, foi criada uma comissão apolítica para estudar o problema. As exigências legais para a emancipação eram de renda e população, o que levou a diversas tentativas junto aos representantes de Terra de Areia e Itati. Era prefeito de Osório Leonel Mantovani que deu seu apoio. Um comício realizado no Cine Riograndense alcançou grande sucesso e adesões à teoria emancipacionista.
                Durante este período, foi eleito Prefeito de Osório Romildo Bolzan, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), que foi contra a emancipação dos distritos. Apesar dos esforços petebistas de Luiz Bassani, Manuel Nunes da Silveira e Gilberto Bassani, houve divisão na população, resultando 200 votos contra a emancipação. Nos outros distritos, o resultado também foi negativo. Consta que a Prefeitura de Osório mandou maquinário pata atender as reinvidicações de Terra de Areia e Itati, além de ensaibrar quase todas as ruas do bairro Santa Luzia em Capão da Canoa.(12) Dias antes do plebiscito, faleceu repentinamente José Agostinelli, um dos líderes emancipacionistas.
                O segundo movimento pró-emancipação reuniu uma Comissão formada por Ângelo Maggi Boff (Presidente), Oliveira de Souza Monteiro, Cláudio Czarnobai, Cláudio Manuel Martins, Luiz Cesar Maggi Bassani, Edmundo Jacó Porto  Pretto e Martinho Jovino Espíndola. Após exaustivas demandas, Capão da Canoa emancipou-se de Osório, em 12 de abril de 1982, através da Lei 7638, sancionada pelo então Governador Amaral de Souza (Verlindo, 2000, p.90). A emancipação trouxe resultados positivos para o novo município, com um significativo desenvolvimento econômico.


(12) Documento redigido por Ramiro Correa da Silva, cedido por Ernani Dietrich, Setembro de 2004


                                          CÂMARA DE VEREADORES ATRAVÉS DOS TEMPOS
Com a emancipação de Capão da Canoa, foram eleitos seus primeiros vereadores, que legislaram provisoriamente no Capão da Canoa Futebol Clube, até a inauguração de sua nova sede que foi no prédio da Escola Estadual Luiz Moschetti.
                      Dezoito anos depois, com a iniciativa dos vereadores da gestão 1997/2000, a CMCC inaugurou sua nova sede na Semana do Município, em 11 de abril de 2001, quando foram homenageados, em nome desta legislatura, o vereador Arino Cardoso, presidente deste legislativo no ano 2000. O então presidente no ato, vereador Luiz Gabriel fez o descerramento da placa inaugural e da pedra fundamental, ficando assim denominada "Legislativo Municipal Protásio Marques da Rosa Filho", decreto05/2001
Galeria de Vereadores  - Mandato 2001-2004
Texto do livro de Mariza Simon dos Santos e do Livro Raízes de Capão da Canoa