Seguidores

quarta-feira, 29 de junho de 2011

PLATAFORMA MARÍTIMA DE ATLÂNTIDA EM XANGRI-LÁ, NUM DIA DE 9º E CHUVOSO


Um ângulo diferente da plataforma marítima de Atlântida

NESTE LOCAL FICAVA O BARONDA - HOJE FICA ESTE RESTO DE DEMOLIÇÃO, CADA VEZ QUE CHOVE OU O MAR ENCHE UM POUCO ACONTECE ISSO, DE QUEM É A RESPONSABILIDADE?


terça-feira, 21 de junho de 2011

TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS - CORAÇÃO

CORAÇÕES PERDIDOS NAS DOAÇÕES



Os motivos do baixo aproveitamento das doações para transplantes de coração.


MANUTENÇÃO – Até o momento da extração dos órgãos, o corpo do doador tem de ser mantido artificialmente por meio de respirador e de medicações. De todos os órgãos, o coração é o mais dependente de tais medicamentos – em especial a noradrenalina , usada para manter a pressão arterial.


ÍNDICE MÉDIO DE PERDA – 60%


SELEÇÃO


O doador passa por exames que visam a atestar a qualidade dos órgãos para doação. No caso do coração, o principal fator impeditivo é a parada cardíaca (ainda que o coração tenha voltado a funcionar)


ÍNDICE MÉDIO DE PERDA – 20%


EXAMES


Confirmada a viabilidade do coração para doação, são realizados pelo menos quatro exames cardíacos específicos. No Brasil, só são feitos dois deles.


ÍNDICE MÉDIO DE PERDA – 10%


EXTRAÇÃO


Nos centros internacionais de referência em transplante cardíaco, há uma equipe médica (cirurgiões, anestesistas e enfermeiros) de prontidão à espera de um órgão. No Brasil, essa disponibilidade é rara. Ou seja, em alguns casos, um coração em perfeitas condições pode ser recusado por falta de especialistas que façam o transplante.


ÍNDICE MÉDIO DE PERDA – 5%


TRANSPLANTE


Depois da extração do órgão, os médicos têm quatro horas para realizar o transplante. Por falta de logística, muitas vezes esse prazo não é cumprido.


ÍNDICE MÉDIO DE PERDA – 5%


TAXA DE APROVEITAMENTO DE CORAÇÃO PARA TRANSPLANTE


ESTADOS UNIDOS – 20%


ESPANHA - 20%


BRASIL – 10%


Fontes : Anderson Benício , cirurgião cardíaco do Incor – São Paulo, Fernando Bacal, presidente de insuficiência cardíaca da Sociedade Brasileira de Cardiologia , Leonardo Borges, coordenador da Organização de Procura de órgãos do Hospital das Clínicas, e Noedir Stolf, membro titular do conselho diretor do Incor.


Matéria da Veja de 22 de junho de 2011 pg.107

domingo, 12 de junho de 2011

VOÇÊ SABE POR QUE A ÁGUA DO MAR É SALGADA?

                                      POR QUE A ÁGUA DO MAR É SALGADA?

Toda água contém moléculas de sal, inclusive a encontrada em rios e lagos. Nos oceanos, a quantidade é maior devido a um processo que começou há milhões de anos. A chuva foi diluindo os minerais presentes na superficie terrestre, carregando-os para o mar. Ao mesmo tempo, vulcões submersos foram lançando elementos químicos na água, contribuindo para o aumento da salinidade. Esses fenômenos ocorrem até hoje. Estima-se que os oceanos recebam anualmente 2,5 milhões de toneladas de sais variados. Isso quer dizer que os mares ficam mais salgados a cada ano? Não, pois eles também perdem sal. Moluscos, crustáceos, estrelas do mar, ouriços e tartarugas, entre outros animais marinhos, utilizam o sódio e o cálcio diluídos na água para construir suas  conchas e carapaças. É por isso que a salinidade média de mares e oceanos ao redor do mundo mantém-se mais ou menos estabilizada em 35% - ou seja, 35 gramas de sais (pincipalmente cloro e sódio) para cada litro de água

Fonte : Nova Escola
Consultoria: Ricardo Lopes Crispino, doutor em Oceanografia Biológica
Pesquisa : Ana Rita de Cássia , Brusque, SC

Esta espécie de beija-flor existe em grande quantidade no litoral norte

HOTEL BASSANI ATUALMENTE - MUITA HISTÓRIA DESDE SUA FUNDAÇÃO

Neste local fica atualmente a rótula, próxima ao Ginásio N.S.Divina Providência

sexta-feira, 10 de junho de 2011

BARCO DE PESCA EM CAPÃO DA CANOA - MUITO PRÓXIMO DA COSTA

IGREJA DE CAPÃO DA CANOA - NÃO SEI EM QUE DATA

Este pequeno pássaro (cambacica) tem aumentado sua população em todo o Litoral

Cambacica (coereba Flaveola) - este pequeno pássaro da família Coerebidae, está aumentando sua família no litoral, sua alimentação é néctar, frutas , mas principalmente é visitante das garrafas açucaradas destinadas a atrair beija-flores.